Uma nova profissão no radar da geração…

Clubbers. É assim que vamos definir os participantes do novo programa que o famigerado Clubhouse está lançando. Mas antes de explicar, vamos direto ao ponto: U$ 5 mil para gerar conteúdo nas salas de bate papo do app. Topa?

A plataforma anunciou que está investindo em um programa de incentivo para os influenciadores, com o objetivo de fomentar interações exclusivas e interessantes no aplicativo, oferecendo essa “proposta de emprego” para alguns usuários influentes.

Mas por quê? Pelo mesmo motivo que um supermercado qualquer compra produtos para colocar na gôndola. É… Talvez esse não seja o exemplo mais bonito, mas ilustra de forma simples a lógica da coisa.

Assim como um loja, ao entrar em uma rede social, as pessoas precisam encontrar bons produtos lá dentro, para que queiram dar uma olhada e, eventualmente, comprem algo.

Tratando-se de um app que favorece a massa cinzenta — no photos or videos, just voice — manter conversas relevantes lá dentro é um grande desafio. Naturalmente, como forma de manter as pessoas engajadas, é legal oferecer alguns incentivos.

Hora certa ou desespero?

A estratégia vem no momento em que o Twitter Spaces (Ctrl C + Ctrl V do CH) ganha força e, por outro lado, aposta na Tip Jar como forma de monetização para os criadores de conteúdo — aparentemente, um pouco mais sustentável à longo prazo.

Último ponto e talvez o mais interessante para os influencers… Mais que fornecer o dinheiro em espécie, a ideia principal do Clubhouse é estimular o match entre clubbers e marcas que podem querer patrocinar programas na rede. Isso sim é valioso e tem potencial até para ser um produto por si só.

Deixe uma resposta