Afinal, como andam as vacinas por aqui?

Hoje completamos 60 dias da primeira dose aplicada no país. Antes de um panorama geral sobre o cenário da vacinação por aqui, é importante lembrar que, há aproximadamente um ano, dávamos início às medidas mais restritivas contra a COVID-19.

Até a última atualização, atingimos um marco importante: 10 milhões de pessoas já receberam a primeira dose. Aos que são mais fracos em matemática, isso representa, aproximadamente, 5% da população brasileira.

E a segunda dose? Essa já foi aplicada em 3 milhões de pessoas — ou 1,79% da população do país — em todos os 26 estados e no Distrito Federal.

Geograficamente falando… São Paulo foi o estado que mais vacinou pessoas com a primeira dose (6,43% da população), enquanto o Mato Grosso do Sul é o que detém o maior número de imunizados (2,75% da população).

Alguns pontos interessantes sobre a temática…

  1. Aqui você pode ver um mapa interativo por região.
  2. Ontem, 5 capitais interromperam a vacinação por falta de doses. Rio Branco, Rio de Janeiro, João Pessoa e Aracaju ficaram sem estoques do imunizante.
  3. Relatos mostram que, no governo Trump, autoridades de saúde americana “recomendaram” — ou tentaram forçar — o Brasil a recusar receber vacinas da Rússia.

Voltando a matemática das vacinas… Apesar de não ser a mais correta e talvez até pessimista, já que ignora o delta da velocidade das aplicações, se levarmos em conta a média diária atual (14 milhões de doses : 60 dias = 236 mil por dia), demoraremos quase 2 anos para vacinar a taxa ideal de 75% da população.

Certamente — e felizmente — demoraremos menos, mas é bom ter essa noção sobre o todo durante a evolução. Só nas últimas 24 horas, no entanto, foram vacinados 426.081 brasileiros, um sinal de que estamos avançando em termos de velocidade.

Além disso, o que mais é relevante por aqui?

Deixe uma resposta