Parece Ctrl C + Ctrl V de uma matéria antiga

O verão europeu não sabemos, mas a primavera está em risco. As taxas de contágio da COVID-19 quase dobraram na Alemanha no último mês — segundo Angela Merkel, sobretudo por causa da variante britânica — o que fez com que a semana começasse com novas medidas de confinamento.

  • Mais um ano sem Páscoa. As restrições no território alemão serão rígidas durante a Semana Santa, com comércios fechados e serviços religiosos cancelados, pelo menos até o dia 18 de abril.

Por lá, os especialistas também alertam que as UTIs correm o risco de ficarem sobrecarregadas. No entanto, as revelações de que membros do bloco de Merkel lucraram com contratos para o fornecimento de produtos médicos, podem dificultar que uma estratégia de contenção do vírus seja implementada.

E não é só na Alemanha…

A Europa, como um todo, tem vivenciado um aumento do número de casos. Por lá, a incidência do vírus aumentou em 40% desde fevereiro e, por isso, outros países também adotaram medidas semelhantes.

🇫🇷 França: bloqueios foram impostos em 16 áreas, incluindo Paris, afetando cerca de 21 milhões de pessoas. Lojas fechadas, viagens proibidas, toque de recolher…

🇮🇹 Itália: paralisação total de 3 a 5 de abril, com exceção para motivos essenciais. Mais da metade do país já está sob restrições, impostas no último dia 15.

🇪🇸 Espanha: com as taxas de infecção subindo outra vez, o país está sob um toque de recolher noturno até maio, com algumas restrições variando entre as regiões.

Com os novos lockdowns, protestos contra as medidas têm surgido em várias cidades europeias.

As cepas mais virulentas e a lentidão na vacinação em massa da população são os dois principais motivos para esse cenário. Queríamos poder não dizer “tamo junto”…

O que mais você precisa saber?

Deixe uma resposta