Americanos estavam vendendo versões falsificadas do cartão de vacina no eBay

Por essa nem o futuro esperava. Desde que a vacinação em massa foi introduzida, alguns países começaram a discutir a possibilidade de criar um sistema capaz de distinguir quem já está imunizado contra a COVID-19 de quem ainda não se vacinou.

Inicialmente, vem dando certo… Apesar de utilizarem diferentes métodos, sendo alguns mais tecnológicos que outros, locais como Singapura, Paris, Roma e Israel já estão utilizando formas bem sucedidas de certificar a imunização.

  • Exceto para os norte americanos, que ainda não tem seu “passaporte” e já estão enfrentando golpistas aproveitadores.

Explicando… Foram identificados centenas de fraudadores vendendo versões falsificadas dos cartões de vacina na internet nos EUA. Na prática, é até mais fácil que falsificar um “passaporte” e tem a mesma utilidade.

Como assim? Simples. Os golpistas imprimiram réplicas de cartões de vacina fornecidos pelas autoridades e colocaram à venda no eBay e no Shopify, além de circularem anúncios das falsificações no Facebook. Teve gente comprando quatro cartões por US$ 80 dólares…

Por que isso é relevante? Estar imune é importante, mas parecer também tem seu valor, ainda mais se alguns serviços começam a exigir comprovação de vacina para utilização. Imagine não poder pegar um vôo de São Paulo para Belo Horizonte que só aceita imunizados?

Ao que parece, a comprovação de imunidade — em suas mais variadas formas — deve se tornar cada vez mais comum no mundo todo. Se a moda da falsificação pegar, pode ser preocupante…

Deixe uma resposta