Qual são as chances de pegar a COVID-19 duas vezes?

Lembra quando achávamos que quem tinha pego uma vez se tornava totalmente imune ao coronavírus? Hoje, já sabemos que não é bem assim… No entanto, um estudo recente feito com 25 mil profissionais de saúde trouxe resultados animadores em relação à reinfecção.

O grupo de pesquisa: 8 mil pessoas já tinham testado positivo e se curado, enquanto 17 mil não tinham tido contato com o vírus. A idade média dos participantes era em torno de 46 anos.

Vamos aos números… De junho a janeiro, os que pegaram a doença pela primeira vez tiveram uma incidência de 57,3 contaminados em 100 mil pessoas, contra 7,6 dos que já tinham testado positivo, também sobre um total de 100 mil. Em média, foram pouco mais de 200 dias entre o primeiro e segundo contágio.

Outro ponto importante foi a proporção de casos assintomáticos em cada grupo. Enquanto nos que tiveram pela primeira vez 80,3% apresentaram sintomas, nos participantes que tiveram reinfecção, esse número caiu para 50,3%.

Por que é relevante? Para entendermos melhor o vírus e como o nosso corpo reage a ele. Com isso, as medidas de saúde pública e os procedimentos médicos tendem a ficar cada vez mais eficientes, detalhados e assertivos, ajudando e melhorando o combate à pandemia.

O que mais foi destaque pelo mundo?

Deixe uma resposta