Campanha #SaveRalph e o recado para o mercado de cosméticos

Durante o final de semana, uma campanha denominada #SaveRalph surgiu na internet, despertando as mais variadas emoções em milhares de pessoas e chamando atenção para uma causa que há muito parecia não estar tão aquecida.

Qual a pauta? Animais cobaias. Por meio de um vídeo altamente produzido, um coelho chamado Ralph é entrevistado tal como se fosse um homem, respondendo com inteligência e discernimento sobre a vida de um animal sujeito a testes de produtos para consumo humano.

Explicando melhor… Estima-se que a cada ano, mais de 100 milhões de animais — incluindo camundongos, ratos, sapos, cães, gatos, coelhos, hamsters, macacos e peixes — sejam mortos em laboratórios americanos para fins de estudo científico e testes de produtos químicos e cosméticos, o grande foco da campanha.

Deu certo? Bem… A comoção foi tamanha que, nos últimos 5 dias, as buscas no Google pelo termo “Animal Testing” chegaram ao maior nível desde 2016. Inclusive, em buscas relacionadas, é possível ver que uma outra pesquisa entrou em jogo: “Quais companhias usam animais para testar produtos”.

Aqui é que entra o consumo… Como consequência da campanha, postagens começaram a expor as marcas de cosméticos que utilizam animais na jornada de testes de seus produtos e, como você pode imaginar, já que estamos na era do cancelamento, o resultado não foi outro, se não o da divisão.

  • De um lado, estão as marcas que são “livres de crueldade” e não utilizam animais para teste em nenhuma parte da cadeia, desde os ingredientes até o produto acabado.
  • No oposto, ficaram as marcas que não são se incluem na hashtag #CrueltyFreeBrands, como NARS, Mac, L’Oreal, Lancôme, Avon e outras grandes empresas.

Expandindo o foco…

Embora a prática seja proibida em 40 países, algumas leis ainda exigem testes em animais como pré-requisito para aprovação de um produto e isso torna a solução mais complexa que uma comoção mundial, apesar de ser uma bela faísca inicial.

Por que é relevante? As novas gerações estão cada vez mais preocupadas com sustentabilidade, diversidade e questões similares, no que tange ao que consomem. Responder ao apelo popular em casos assim, torna-se uma questão financeira para as marcas.

Indo ainda mais além… Se analisarmos o contexto todo, o bem estar de animais envolve muito mais que a testagem em cosméticos e produtos. Há outras causas que podem ser englobadas nesse universo, que vão do consumo de carne até a compra de cachorros de raça.

De qualquer forma, deixaremos o link do vídeo para que você assista. É bem forte. Basta clicar.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

mais inteligente em 5 minutos

tudo que você precisa saber pra começar seu dia bem e informado

INDICADOS PARA VOCÊ

NEGÓCIOS

Avisa lá que a Audi voltou

Q3 de volta. Ontem, a Audi anunciou um investimento de R$ 100 milhões para retomar a produção de seus veículos no Brasil, depois

ECONOMIA

Os 100.000 pontos duraram pouco

Pouco, bem pouco. Os investidores se mostraram exigentes ontem — não adianta a economia global subir, tem que subir “de acordo”. 

CHAMPS

Etapa dos líderes

Em qualquer campeonato que percorra vários países do mundo, não há nada como competir em casa. Estar habituado ao local, sentir o clima e,