Os EUA estão bonzinhos na pandemia?

Em geopolítica não se faz caridade, mas na pandemia, talvez sim. Os casos nos EUA diminuíram, mas, no mundo como um todo, continuam aumentando. Com vacinas sobrando e 42,2% da população tendo recebido ao menos uma dose, os EUA vão compartilhar 60 milhões de doses da AstraZeneca com outros países.

  • As doses ainda não estão disponíveis, já que o FDA — a Anvisa estadunidense — ainda não autorizou o uso da vacina da AstraZeneca nos EUA, mas o objetivo é que isso aconteça em questão de semanas.

Para quem eles vão doar? Não há uma lista, mas Biden já havia dito que iria disponibilizar as matérias-primas necessárias para a produção de dose na Índia que, com mais de 350 mil novos casos ontem, renovou seu quinto recorde seguido.

Força-tarefa na Índia: o Reino Unido começou a enviar ventiladores e cilindros de oxigênio para o país. Além disso, a UE prometeu uma resposta coordenada de seus membros para enviar recursos, mas, independente disso, França e Alemanha já disseram que vão ajudar com o fornecimento de materiais.

E por falar em Europa…

Enquanto os EUA anunciam que vão doar vacinas da AstraZeneca, os europeus tomam medidas legais por não terem recebido as doses. Vem processo por aí…

Na contramão do que diriam seus pais, a UE colocou a maioria dos ovos na “CestaZenica”. Com problemas na produção, a farmacêutica não conseguiu fornecer as doses como o bloco esperava, reduzindo a velocidade da imunização.

A empresa diz que cumpriu o contrato e se defenderá veementemente (com unhas e dentes) no tribunal.

O que mais é destaque no cenário mundial?

Deixe uma resposta