A COVID-19 no Brasil em comparação ao resto do mundo

Muito se fala, mas o que confirma mesmo são os números. Então vamos analisar os dados do coronavírus no Brasil e no mundo, para conseguirmos entender melhor a nossa situação.

Os números até aqui:

  • Óbitos: Com a triste marca de 400 mil, que foi atingida nessa quinta, somos o 2° país com mais mortes — atrás somente dos EUA. Em termos proporcionais, ficamos na 13° colocação desse ranking, com 1.800 mortes para cada milhão de habitantes.
  • Infecções: Com mais de 14,5 milhões, somos o 3º país com mais casos confirmados e o 34º se olharmos em relação à população — mais de 68K a cada milhão de habitantes.
  • Vacinas: No total, somos o 5º país que mais aplicou doses (41 milhões) e, proporcionalmente, somos o 56º — com quase 20 doses para cada 100 habitantes.

Overview: O Brasil representa 2,7% da população mundial, aplicou 3,8% das doses de vacinas contra a COVID-19 do planeta, concentra 9,7% de todos os casos e 12,6% de todos os óbitos.

O momento:

Nas últimas 24 horas, foram 3.074 mortes por COVID-19. Com isso, a média móvel dos últimos 7 dias, que vinha caindo desde domingo, subiu de novo, chegando a 2.523. Comparando com a média de duas semanas atrás, a variação foi de -12%, o que indica tendência de estabilidade.

  • O final de março e o mês de abril, que termina hoje, se destacaram negativamente pelo alto número de mortes, o que, consequentemente, elevou a média móvel de óbitos.

Já os casos… Foram 69.079 no dia de ontem. A média móvel, por sua vez, está em 60.107. Isso significa uma variação de -8% em relação aos casos registrados há 14 dias, o que indica tendência de estabilidade nos diagnósticos.

Resumindo: Os números no último mês foram bastante elevados e, durante essa semana, houve uma tendência de queda. Ontem, no entanto, eles voltaram a subir, mas a baixa na média em relação há 14 dias se manteve.

Que as últimas 24 horas tenham sido só uma exceção, e que possamos trazer números positivos por aqui na semana que vem. 🙏

O que mais é destaque no Brasil?

Deixe uma resposta