Mais um processinho na mesa da Apple

Primeiro os EUA, agora, a União Europeia. O bloco acaba de acusar a Apple por violações antitruste da App Store, depois da reclamação do Spotify de que seu concorrente, o Apple Music, era beneficiado pela companhia mãe.

  • A Comissão Europeia concluiu que a Apple realmente tem uma posição dominante no mercado de distribuição de apps de streaming musicais, através da App Store.

Como assim? 1) A Apple impõe aos desenvolvedores o uso obrigatório do seu sistema de compra in-app, pelo qual cobra 30% e 2) A empresa proíbe desenvolvedores de informar aos usuários sobre outras opções de compra fora da plataforma.

É como se todo mundo tivesse que pagar pedágio, menos a Apple, já que ela é a dona da estrada. Com isso, a taxa de 30% sempre é repassada para os usuários finais, o que aumenta o preço dos concorrentes. Naturalmente, o Apple Music fica em vantagem.

  • Essa é a fase inicial do processo antitruste contra a Apple, que terá 12 semanas para responder a uma lista de objeções.

Para ficar de olho: Além do streaming de músicas, a UE também está investigando outros casos, envolvendo, inclusive, e-books.

O que pode acontecer? Se a Apple for considerada culpada, ela pode ser multada em até 10% de sua receita anual, podendo chegar a US$ 27 bilhões. O maior impacto, no entanto, seria a empresa precisar mudar seu modelo de negócios.

Deixe uma resposta