As big techs cada vez maiores

O céu é o limite? Hoje, vamos fazer algo diferente na seção de mundo. Em vez de assuntos políticos, vamos trazer os desempenhos das maiores empresas do planeta: as big techs. Geralmente, elas mostram bons resultados, mas, nesse 1T, os números foram difíceis de acreditar e mudam a nossa noção de grandeza…

Não foi preciso procurar muito para encontrar recordes nos relatórios. As vendas da Apple cresceram 54% em comparação ao 1T de 2020, chegando a US$ 90 bilhões, enquanto as da Amazon saltaram 44%, chegando à marca de US$ 108 bi.

Um ponto positivo de cada uma delas…

  1. Apple: Só com venda de iPhone, foram mais de US$ 47 bi, com o preço médio chegando a US$ 847.
  2. Microsoft: O Teams, plataforma que integra todas as ferramentas da empresa, passou de 145 milhões de usuários diários, mais de 7 vezes o número de 18 meses atrás.
  3. Amazon: O número de funcionários da empresa chegou a 950 mil, cerca de duas vezes a quantidade no mesmo período de 2020.
  4. Google: A receita do YouTube cresceu 49% em relação ao ano passado.
  5. Facebook: Os aplicativos do Zuck foram usados ​​por mais de 3,4 bilhões de pessoas — pelo menos uma vez — no mês de abril.

Mas o número mais chocante é esse aqui: Essas cinco empresas somadas dobraram sua representação em relação a 5 anos atrás e, agora, compõem cerca de 25% do total do S&P 500 — o índice americano que contém as empresas mais relevantes do mercado. Já a soma do valor de mercado das cinco juntas ultrapassa a marca de US$ 8 trilhões.

Elas já eram gigantes antes da pandemia, mas fica evidente a influência desse período — marcado pelo home office e pelos finais de semana em casa — no crescimento ainda maior das big techs.

É só comparar… É muito provável que você tenha passado a usar ainda mais o celular, dependa de plataformas online para trabalhar ou estudar, tenha começado a fazer mais compras pela internet e gaste ainda mais tempo em aplicativos e redes sociais. Estamos errados?

Além disso, o que mais é destaque pelo mundo?

Deixe uma resposta