Chile escolhe os redatores de sua nova constituição

Uma nova Constituição está a caminhoDurante o final de semana, os chilenos tiveram a oportunidade de escolher as 155 pessoas que irão escrever o novo texto constitucional do país.

  • O movimento acontece depois de quase 80% da população, por meio de um referendo, votar a favor de uma nova constituição em outubro do ano passado.

O referendo foi fruto das fortes manifestações populares no país em 2019, que exigiam mudanças especialmente em relação à constituição atual.

Uma faca de dois gumes…

Para muitos, a constituição em vigor, elaborada durante a ditadura militar que o país viveu entre 1973 e 1990, é pouco social e fortalece excessivamente a inciativa privada.

Por outro lado, muitos dizem que o caráter excessivamente liberal e pró-negócios são fundamentais para o crescimento econômico e a estabilidade do Chile.

Por que isso é relevante? Além do Chile ser um dos países mais desenvolvidos da América Latina, pense que o principal instrumento da democracia do país está sendo feito do zero, com atributos jamais vistos em nenhum lugar do mundo.

A nova constituição chilena será a primeira a garantir a paridade de gênero em redação, ou seja, o número de homens e mulheres que irão escrever os novos artigos do texto constitucional deve ser idealmente similar. Além disso, 17 de suas 155 vagas serão reservadas para comunidades indígenas.

Se for aprovada, ela se tornará o texto constitucional mais novo do mundo. Na teoria, é provável que ela seja um reflexo ou, ao menos, traga alguns elementos do mundo contemporâneo, que não eram contemplados na década de 1970.

De curiosidade, aqui está uma lista da ordem cronológica e do tamanho das Constituições do mundo. É só clicar.

O que mais é destaque pelo mundo?

Deixe uma resposta