EUA investiga doença misteriosa em oficiais da Casa Branca

No mínimo, estranho. Por mais bizarro que isso possa parecer, os Estados Unidos estão investigando uma síndrome peculiar que possivelmente está atacando alguns embaixadores e membros do governo de forma misteriosa.

Como assim? A chamada Síndrome de Havana parece ter atingido dois funcionários da Casa Branca recentemente. Ambos são oficiais do Conselho de Segurança Nacional e foram acometidos por sintomas que incluem a perda de audição e danos cerebrais.

Muito embora não exista uma resposta definitiva para a causa disso, o país voltou a investigar mais a fundo o que houve com os dois oficiais e mais de 130 agentes que também foram atingidos pela doença.

Um pouco de história…

A suposta doença foi chamada de “Havan Syndrome”, pois foi originalmente identificada em 2016, em embaixadores americanos que viviam na capital de Cuba, Havana.

A suspeita é que tenha sido causada por “ataques sônicos” e ondas dirigidas. O governo americano investiga os casos, desde então, e um estudo encontrou “anormalidades cerebrais” nos diplomatas que adoeceram.

  • Médicos disseram que imagens cerebrais de 21 funcionários norte-americanos afetados mostraram mudanças estruturais no cérebro que não haviam sido associadas a qualquer distúrbio conhecido. Cuba, no entanto, rejeitou o relatório.

Parece exagero? Pior é que sim. Porém, se serve de base, na época, o Canadá também cortou o pessoal da embaixada em Cuba depois que pelo menos 14 de seus cidadãos relataram sintomas semelhantes.

De onde vem essa informação? Você pode escolher. CNNUSA Today e CNBC. Todos relataram o que você acabou de ler. Há até uma página específica sobre na Wikipédia. A mídia brasileira deve relatar isso em breve, mas você viu primeiro aqui.

De volta a questões mais objetivas, o que mais foi destaque pelo mundo?

Deixe uma resposta