Mais da metade dos internados por COVID-19 tem menos de 60 anos

Preocupante? Pela primeira vez, a mediana dos internados por COVID-19 nos hospitais está abaixo dos 60 anos. De janeiro desse ano a primeira semana de maio, o número saiu de 66 para 55.

  • Para os de humanas… Isso quer dizer que metade dos internados tem mais de 55 anos e a outra tem menos que isso.

Por que é relevante? É só lembrar o quanto se falava que os “acima de 60” eram o grupo de risco. Agora, o risco tem atingido uma faixa etária mais nova, o que tem sido chamado de “rejuvenescimento da pandemia”.

Os motivos… 1) A redução de casos em pessoas mais velhas por conta da vacinação e 2) A maior exposição dos mais jovens, por conta das flexibilizações e pela necessidade de sair pra trabalhar.

Um ponto importante: Os pacientes não idosos têm tendência a permanecer por mais tempo ocupando um leito, o que pode afetar diretamente na operação do sistema de saúdeIsso pode ser um dos fatores para a interrupção da queda na taxa de ocupação do SUS nas últimas semanas, que vinha sendo constante.

E os números da COVID-19?

Nas últimas 24h, foram 37.072 casos e 894 mortes por coronavírus. A média móvel de óbitos está em 1.909, tendo variado -9% em relação a 14 dias atrás, indicando tendência de estabilidade.

Já a média de infecções está em 65.479, com uma variação de +8% em comparação a duas semana atrás, o que também indica tendência de estabilidade.

O que mais foi destaque por aqui?

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

mais inteligente em 5 minutos

tudo que você precisa saber pra começar seu dia bem e informado

INDICADOS PARA VOCÊ

Uncategorized

Parque eólico na costa brasileira?

O mar está se abrindo. Pode parecer complexo no primeiro momento, mas você vai entender a relevância. Ontem, foi publicado um decreto

ECONOMIA

Maior alta desde 2014

Oil high. O preço do barril atingiu níveis não vistos desde 2014. Ontem, o barril do Brent, que serve de parâmetro

MUNDO

COVID ou ideologia política?

Dado interessante. É um consenso mundial — e com certeza não é novidade pra você —, que o coronavírus tende a ser