Um estoque não tão agradável

Na última semana, chegamos a 100 milhões de doses enviadas aos estados pelo Governo Federal. Um marco importante, mas que precisa de atenção, já que doses enviadas não são, imediatamente, doses aplicadas…

Como assim? Se a aplicação não acompanha a chegada de novas unidades, o estoque aumenta. No mês de maio, inclusive, as doses estocadas aumentaram.

  • Desde fevereiro, esse número estava entre 20% e 25% das vacinas distribuídas, mas, na última semana, ele passou de 30%.

Um provável motivo: A demora para a aplicação das doses em relação ao momento em que elas são enviadas do centro de logística do governo. A média, que antes era de 14 dias, agora está em 26 dias.

Por que demora? Aqui já não é tão simples. A mudança no prazo tem uma série de fatos causadores e alguns exemplos são: (i) as grandes distâncias entre os municípios, (ii) a demora para o registro das aplicações, (iii) a burocracia da fila prioritária, (iv) o Censo desatualizado e (v) a reserva da segunda dose — espcialmente da AstraZeneca, que demora mais pra ser aplicada.

Abaixo você pode ver um gráfico detalhado sobre o que acabamos de relatar.

O que mais é importante por aqui?

Deixe uma resposta