O mais novo dilema do mundo corporativo

Obrigar ou não obrigar a vacinação? Essa é a questão que muitas empresas de tecnologia estão enfrentando no momento, aumentando o dilema do retorno à vida normal pós COVID-19.

Enquanto algumas companhias querem exigir a vacina de seus colaboradores — como você viu aqui na semana passada —, outras estão relutantes na exigência e postergando o retorno presencial.

O que está acontecendo? Ontem, a Amazon disse que seus funcionários não poderão voltar para o escritório, pelo menos, até o dia 03 de Janeiro de 2022, sendo que o retorno oficial estava previsto para o próximo mês, no dia 07.

  • A decisão de uma das maiores empregadoras do mundo (+1,2M de funcionários) faz um grande contraponto em relação a outras gigantes do mercado, criando um verdadeiro impasse no contexto corporativo do país e do mundo.

Isso porque, na semana passada, Google, Facebook e Microsoft disseram que seus funcionários devem ser vacinados para voltarem ao Campus. A Netflix também foi na mesma onda e aderiu a exigência ontem.

Trazendo para um contexto mais próximo…

Aqui no Brasil, a Justiça do Trabalho já vem entendendo que a recusa em tomar vacina por parte do empregado pode ser motivo de demissão por justa causaO precedente foi criado pelo Tribunal Regional do Trabalho de SP.

  • Por que tudo isso é relevante? Mais do que a discussão filosófica da liberdade de querer se vacinar ou não, é o que isso provoca no mercado: rotatividade.

Espere um aumento de demissões, e também que contratantes utilizem seus posicionamentos como atrativos para funcionários insatisfeitos.

O que mais foi destaque em tecnologia?

the news 📬

Mais inteligente em 5 minutos. Somos um jornal gratuito e diário, que tem por objetivo te trazer tudo que você precisa saber para começar o seu dia bem e informado.

Notícias, de fato, relevantes sobre as principais atualidades do mundo, do Brasil, tecnologia e do mercado financeiro, sempre nessa ordem.

Direto na sua caixa de entrada do e-mail favorito, sempre às 06:06. É gratuito, mas pode viciar.

Para se inscrever, clique aqui.

Deixe uma resposta