7,4% dos trabalhadores do Google pediram para continuar trabalhando de casa

Novo normal. Conforme os norte-americanos começam a se movimentar mais, tem quem queira continuar em casa, e um relatório do Google mostra bem essa tendência.

A empresa do Vale do Silício divulgou que mais de 10 mil colaboradores solicitaram mudanças em seus contratos de trabalho para (i) trabalhar remotamente de forma permanente, ou (ii) alterar o local da sede em que desejam trabalhar.

  • Cerca de 55% dos pedidos tinham como objetivo a transferência de escritório, enquanto o restante buscava permissão para continuar de home office.

Como o Google reagiu? Aparentemente bem. De todos os pedidos, a empresa acatou a maioria deles — cerca de 85%. Mesmo assim, isso é pouco expressivo perto dos 135 mil colaboradores no total.

Zoom out: Por mais que em casa os googlers possam trabalhar de meia e sem banho, apenas 7,4% deles optaram por esse caminho formalmente até agora. Vai ver é por isso que eles querem construir esse novo campus no Vale do Silício nos próximos anos.

Extra: Por falar em googlers, dezenas deles foram demitidos nos últimos anos por uso indevido dos dados da empresa. Para saber mais, clique aqui.

Além disso, o que mais é destaque em tecnologia?

the news 📬

Mais inteligente em 5 minutos. Somos um jornal gratuito e diário, que tem por objetivo te trazer tudo que você precisa saber para começar o seu dia bem e informado.

Notícias, de fato, relevantes sobre as principais atualidades do mundo, do Brasil, tecnologia e do mercado financeiro, sempre nessa ordem.

Direto na sua caixa de entrada do e-mail favorito, sempre às 06:06. É gratuito, mas pode viciar.

Para se inscrever, clique aqui.

Deixe uma resposta