Crianças, segurança e tecnologia

A segurança dos pequenos virou um dilema tecnológico. Os novos recursos de segurança da Apple para menores de idade, inclusive, estão causando um fervor.

Explicando: 

Uma triste e relevante porcentagem de usuários trafica material de abuso sexual infantil, que é, em outras palavras, pornografia infantil. Com isso, a gigante da tecnologia decidiu impedir a disseminação desses conteúdos.

Como? A Apple fará uma varredura nos iPhones para fotos ilíticas, com base no seguinte:

  1. A companhia tem um banco de dados de material de abuso sexual infantil dado pelo Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas;
  2. Ela vai, então, compará-lo com as fotos criptografadas enviadas ao iCloud;
  3. Caso um limite mínimo de possíveis fotos seja correspondido, a conta será sinalizada e eles inspecionarão as fotos (afinal, pode ser um pai que enviou muitas fotos do primeiro banho do seu filho no grupo da família).

O problema é sério e carece de solução. Então, por que é controverso? Há pontuações de que, com esse sistema, a Apple poderia facilmente escanear qualquer conteúdo para algo que eles ou algum governo, por exemplo, desejem controlar.

A empresa, então, divulgou um FAQ de 6 páginas, dizendo que recusaria demandas para rastrear imagens que não fossem de abuso sexual infantil.

Ainda envolvendo crianças e tecnologia… O Google anunciou que não vai permitir mais segmentação de anúncios para crianças com base em sua idade, sexo ou interesses. O Facebook foi na mesma linha, mas só para interesses e atividades.

the news 📬

Mais inteligente em 5 minutos. Somos um jornal gratuito e diário, que tem por objetivo te trazer tudo que você precisa saber para começar o seu dia bem e informado.

Notícias, de fato, relevantes sobre as principais atualidades do mundo, do Brasil, tecnologia e do mercado financeiro, sempre nessa ordem.

Direto na sua caixa de entrada do e-mail favorito, sempre às 06:06. É gratuito, mas pode viciar.

Para se inscrever, clique aqui.

Deixe uma resposta