A polêmica dos aplicativos continua

Decisão importante para aplicativos de transporte. Uma decisão do tribunal da Califórnia quer transformar os motoristas em funcionários, sob o argumento de que a famosa Proposta 22 é inconstitucional. Calma, vamos explicar… 

Um referendo na Califórnia decidiu, em novembro do ano passado, que motoristas não deveriam ser tratados como empregados, mas sim trabalhadores independentes — bem como ocorre no Brasil.

Na época, a decisão foi extremamente comemorada pelos aplicativos que possuem em seu modelo de negócio trabalhadores autônomos — ou seja, quase todos os unicórnios de tecnologia do setor de serviço.

  • Uber, Lyft, DoorDash, Instacart e Postmates “investiram” mais de US$ 200 milhões para incentivar a aprovação dessa proposta.

Tudo estava indo bem até que…

Na sexta-feira, um tribunal decidiu que a tal Proposta 22 era inconstitucional por limitar o poder do Legislativo e privar os motoristas de estarem sujeitos à proteção legal.

Mas afinal, por que isso importa? Muitas dessas empresas já disseram que, caso os prestadores de serviço tenham que ser tratados como empregados, não haverá condições de continuar operando, já que isso aumentaria em mais de 20% os custos do business.

Uma aliança que representa as empresas disse que planeja apelar da decisão, e os investidores do setor parecem não ter acreditado que a medida vai vencer o lobby de Uber, Lyft e cia. As ações de ambas, inclusive, fecharem em alta ontem.

O que mais é bom saber no mundo da tecnologia?

the news 📬

Mais inteligente em 5 minutos. Somos um jornal gratuito e diário, que tem por objetivo te trazer tudo que você precisa saber para começar o seu dia bem e informado.

Notícias, de fato, relevantes sobre as principais atualidades do mundo, do Brasil, tecnologia e do mercado financeiro, sempre nessa ordem.

Direto na sua caixa de entrada do e-mail favorito, sempre às 06:06. É gratuito, mas pode viciar.

Para se inscrever, clique aqui.

Deixe uma resposta