Gol terá que pagar por maquiagem de funcionárias

Vale-Salão. Uma decisão da Justiça do Trabalho condenou a Gol Linhas Aéreas a realizar um pagamento mensal adicional no valor de R$ 220 para cada uma de suas empregadas aeronautas.

O motivo? O juiz entendeu que a exigência da companhia com os rígidos protocolos de aparência — maquiagem, cabelo, unhas e até depilação — causa discriminação de gênero e prejuízos financeiros às funcionárias.

A origem de tudo isso:

Uma ex-funcionária entrou na Justiça pedindo ressarcimento pelos gastos que teve com maquiagem, manicure e cabelos durante o período em que trabalhou na empresa.

  • Posteriormente, uma ação coletiva sobre o assunto foi movida pelo Ministério Público do Trabalho, pedindo também indenização por danos morais.

A decisão, que ainda pode ser rebatida em recurso, obriga a aérea a pagar indenização coletiva de cerca de R$ 500 mil por dano moral às funcionárias e prevê o fornecimento gratuito da maquiagem, arcando também com os procedimentos estéticos exigidos no protocolo da empresa.

Por que importa? Certamente, a Gol não é a única empresa no país que possui exigências de vestimenta e aparência de seus funcionários. A decisão abre margem para outras ações judiciais similares nos mais diversos setores.

the news 📬

Mais inteligente em 5 minutos. Somos um jornal gratuito e diário, que tem por objetivo te trazer tudo que você precisa saber para começar o seu dia bem e informado.

Notícias, de fato, relevantes sobre as principais atualidades do mundo, do Brasil, tecnologia e do mercado financeiro, sempre nessa ordem.

Direto na sua caixa de entrada do e-mail favorito, sempre às 06:06. É gratuito, mas pode viciar.

Para se inscrever, clique aqui.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

mais inteligente em 5 minutos

tudo que você precisa saber pra começar seu dia bem e informado

INDICADOS PARA VOCÊ

DICAS

Eu ouvi sextou?

Já deu pra sentir aquele gostinho do final de semana chegando? Se ainda não bateu a animação, siga as nossas dicas