Os influenciadores realmente influenciam?

Você já deve ter comprado algo por influência de alguém. Todos nós somos, em alguma momento, influenciadores ou influenciados pelas pessoas do nosso ciclo. Acontece que, com as redes sociais, certas pessoas viraram especialistas nisso.

Digital influencers. O que antes era hobby, hoje, virou pra muitos uma profissão. Até porque, se somos o terceiro país que mais usa o Instagram, por exemplo, boa parte da atenção do país está direcionada para o conteúdo disponível na plataforma.

Estima-se que mais de 65% dos usuários do Instagram no Brasil sigam, pelo menos, algum influenciador digital e há pesquisas que apontam que quase 1 milhão de brasileiros se “declaram” influencers.

Ficou surpreso? Calma, que o melhor está por vir. O Brasil é um dos países em que o poder dos influenciadores é ainda maior que a média global, especialmente nos últimos anos. Veja:

Marketing de influência

A busca por atenção é cada vez maior. Esqueça a época em que uma marca conseguia ficar relevante comprando um anúncio no horário nobre da TV. Marcas, agora, precisam estar atreladas a uma rede de influência.

Se você já comprou algo porque viu alguém indicando na internet, saiba que não está sozinho nessa. Dados mostram que 82% dos usuários seguem marcas no Instagram e mais da metade (55%) já comprou baseado na opinião de um influenciador.

Não se engane: microinfluenciadores podem ser mais efetivos que os grandes 😇

Ao menos, é o que alguns especialistas norte-americanas têm entendido. Microinfluenciadores no Instagram apresentam uma taxa média de engajamento de 3,86%, enquanto os gigantes possuem uma taxa de 1,21%.

  • Claro que isso não significa que você não deve usar grandes personalidades em seus publiposts — até porque 1% de 10 milhões é bem melhor que 5% de 200 mil —, mas uma boa estratégia com várias “formiguinhas” pode ser bem útil.

O TikTok — a mais jovem das redes sociais — parece ter entendido e quer aumentar esse gap. No app chinês, microinfluencers possuem uma média de 18%, enquanto os megafluenciadores obtêm pouco menos de 5%.

O mercado está em alta 🔥

Mais do que nunca, dados serão fundamentais nesse jogo. Veja o caso da Squid, empresa fundada em 2014 que utiliza machine learning e analytics para dar o match perfeito entre influenciadores e marcas.

Takeaway: Você não pode ficar de fora. Seja gerando conteúdo ou comprando espaços publicitários daqueles que geram, uma coisa é certa: sem influenciadores, você pode estar perdendo uma oportunidade e tanto.

Se quiser se aprofundar no assunto, aqui estão algumas estatísticas atualizadas sobre o marketing de influência. É só clicar.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

um MBA em forma de e-mail

sua dose de conteúdo sobre os assuntos mais relevantes do mundo dos negócios. análises números e insights.

INDICADOS PARA VOCÊ