As respostas contra a COVID-19 na Holanda e na China

Depois de rodarem muito pelos canais de Amsterdam durante o verão, os holandeses estão tendo um déjà-vu: as medidas de prevenção contra o coronavírus voltaram.

  • As políticas são as mesmas que você já conhece, como a exigência do uso de máscaras, as regras de distanciamento de 1,5 metro e o passaporte de saúde.

As medidas não foram reintroduzidas à toa, claro. Segundo o primeiro ministro, as infecções e as internações hospitalares estão aumentando rapidamente, o que fez com que os cidadãos também fossem aconselhados a trabalhar mais de casa.

Os números: Em relação à semana passada, o país registou aumento de 44% no número de novos infectados.

A relevância… A novidade torna a Holanda um dos primeiros países da Europa a restabelecer as restrições, apesar dos casos também subirem em outras nações.

Mudando de continente 🇨🇳

Por causa de um uma viajante que testou positivo para a COVID-19 em Shangai, mais de 34 mil visitantes ficaram presos dentro da Disney chinesa.

O que aconteceu? Após esse caso positivo, iniciou-se na China um esforço agressivo de rastreamento, em uma estratégia de “tolerância zero”. 

No final da conta, todos testaram negativo, mostrando a rigidez extrema da resposta da China ao vírus. É exagero ou a precaução é válida?

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

mais inteligente em 5 minutos

tudo que você precisa saber pra começar seu dia bem e informado

INDICADOS PARA VOCÊ

NEGÓCIOS

Avisa lá que a Audi voltou

Q3 de volta. Ontem, a Audi anunciou um investimento de R$ 100 milhões para retomar a produção de seus veículos no Brasil, depois