Sem Telegram nas eleições?

Em avaliação. O aplicativo de mensagens Telegram — usado ou quando o WhatsApp fica fora do ar ou para aquele grupo de até 200 mil pessoas — está na pauta do TSE.

Por que suspender? O TSE teme que o aplicativo se torne um espaço para disseminação de fake news nas eleições deste ano.

No ano passado, inclusive, o presidente do Tribunal — Luís Roberto Barroso — entrou em contato com o CEO do Telegram para discutir formas de evitar que o app seja usado por grupos que espalham desinformação, mas foi ignorado.

Entendendo o caso 💬

Nas últimas eleições, as redes sociais tiveram uma força gigantesca no Brasil. Consideradas a nova mídia, elas podem ser decisivas nos resultados eleitorais mais uma vez.

Com isso, elas se provaram relevantes no processo e, inclusive, a Justiça Eleitoral já firma acordos com WhatsApp, Facebook e Twitter para barrar conteúdos falsos e que prejudiquem o processo eleitoral brasileiro.

Ponto a pensar: Essa promete ser uma discussão e tanto neste ano, afinal, a linha entre evitar fake news e tornar disso uma seleção parcial de conteúdo pode ser muito tênue — ainda mais quando falamos de política.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

mais inteligente em 5 minutos

tudo que você precisa saber pra começar seu dia bem e informado

INDICADOS PARA VOCÊ