iFood se torna primeira empresa a poder usar drone no delivery

Sua comida vai chegar voando O iFood acaba de se tornar a primeira empresa das Américas a ter autorização para realizar entregas usando drones, ou RPAs (Aeronave Remotamente Pilotada).

A autorização, concedida pela Anac, é inédita no mercado e no continente. Com ela, os drones estão liberados para realizar entregas com cargas de até 2,5 quilos em um raio de 3 quilômetros, inclusive em ambientes urbanos.

  • Ué, mas e se o restaurante for mais longe que isso? Calma, a ideia é que os drones façam apenas uma parte do trajeto na logística do seu pedido.

Como funciona… Eles levam os pedidos até um droneport — área para pousos e decolagens de drones —, onde o pacote é coletado por um entregador do iFood, que completa a entrega fazendo o transporte até a sua casa.

Zoom out: Muito embora sua comida ainda não chegue pela janela e você tenha que descer na portaria, esse é um grande milestone para o país e pode abrir espaço para uso de transporte aéreo em outras situações.

Stats: Um relatório recente já projeta o mercado de entrega por meio de drones passando a casa do US$ 1,29 bilhão até 2028Caso queira aprofundar, clique aqui.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

mais inteligente em 5 minutos

tudo que você precisa saber pra começar seu dia bem e informado

INDICADOS PARA VOCÊ

STORIES

Partilhar

Que amor tão grande Tem que ser vivido a todo instante A cada hora que eu tô longe é um

STORIES

Sentimento feliz

A Ana e o Bruno se conheceram na Alemanha. Ele estava no país pelo Ciências sem Fronteiras, enquanto ela tinha ido cursar toda a

CHAMPS

Do jeito que o povo gosta

A primeira perna de quase todos os confrontos das oitavas de final da Copa do Brasil aconteceram ontem e anteontem, com jogos bem

CHAMPS

Na corda bamba

Não está nada fácil. A seleção brasileira de vôlei masculino está passando por uma fase de altos e baixos. Se a expectativa

CHAMPS

A melhor etapa do ano

Após ficar de fora por dois anos do circuito mundial da WSL, o Brasil voltou a ser palco de uma etapa do

CHAMPS

Isolou?

A grande treta do ano na Fórmula 1 é o porpoising, que, em bom português, são aquelas quicadas que os monopostos dão