A trajetória dos brasileiros que ficaram bilionários no Vale do Silício 🇧🇷

Você conhece a Brex? Basicamente, é uma startup de serviços financeiros que oferece cartões de crédito empresariais e contas de gerenciamento de caixa para startups. O mais interessante é que, embora seja americana, o sangue da empresa é brasileiro.

Tudo começou no início de 2017, quando os jovens Henrique Dubugras e Pedro Franceschi — ambos nascidos no Brasil — fundaram a empresa no Vale do Silício, que veio a se tornar um dos maiores cases de empreendedorismo do nosso país.

Mas o sucesso não veio por acaso 🏆

Os dois fundadores são totalmente fora da curva e possuem currículos de deixar o cabelo em pé. Henrique aprendeu a programar sozinho aos 12 anos, tendo fundado um site que recebeu aporte da Fundação Lemann aos 15.

Já o Pedro, aprendeu a programar sozinho com apenas 9 anos. Aos 12, foi a primeira pessoa do mundo a desbloquear o iPhone 3G. Além disso, 3 anos depois, fez a Siri falar português — sendo que a assistente pessoal da Apple só funcionava em inglês.

A trajetória da dupla 👬

Se separados já eram bons, imagina juntos. Os jovens, que se conheceram quando estudavam na mesma escola, no Brasil, fundaram em conjunto a empresa de pagamentos online Pagar.me antes mesmo de terminarem o ensino médio.

Antes que você se pergunte… Sim, a empresa deu (muito) certo. Os empreendedores ultrapassaram os 100 funcionários, tiveram clientes enormes como o Magalu e venderam o negócio para a Stone. Bota “certo” nisso…

Nasce a Brex 👶

Com o bolso cheio, a dupla foi cursar o ensino superior em Stanford (EUA). Mas, seguindo os passos de Elon Musk e Larry Page, decidiram largar a tradicional universidade, em 2017, depos de apenas 8 meses estudando lá. O motivo? O sonho deles era gigante e eles queriam mais.

  • Então, conseguiram uma vaga na aceleradora de startups Y Combinator para criar uma empresa de realidade virtual — mas rapidamente mudaram de ideia, e, por verem a dificuldade que seus colegas empreendedores tinham para conseguir cartões de crédito corporativos, criaram a Brex.

Hoje, a Brex atua em diversas verticais. A empresa oferece uma plataforma de gestão financeira a negócios de pequeno, médio e grande porte, conta com milhares de clientes — incluindo a própria Y Combinator e o Airbnb — e possui diversas soluções de pagamentos e controle de receitas e despesas.

Para atingir tais feitos, a empresa captou uma série de investimentos, que contribuíram para o sucesso exponencial do negócio. Veja o valor das captações da Brex e em quanto a empresa foi avaliada em cada uma delas:

A última captação 💰

Recentemente, a Brex confirmou que, no final do ano passado, captou US$ 300 milhões em rodada Series D-2uma extensão da rodada Series D, ou seja, uma nova captação com os mesmos termos (incluindo o valuation) da rodada anterior, que avaliou a startup em US$ 12,3 bilhões.

  • Com isso, os dois fundadores, ambos na faixa dos vinte e poucos anos, tornaram-se bilionários, uma vez que possuem 14% da companhia cada, o que equivale a cerca de US$ 1,5 bilhão.

O valor captado será utilizado para… Ah, nada melhor do que ler um artigo de um dos fundadores contando os objetivos da captação. É só clicar.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

um MBA em forma de e-mail

sua dose de conteúdo sobre os assuntos mais relevantes do mundo dos negócios. análises números e insights.

INDICADOS PARA VOCÊ

BIZNESS

As melhores bizcities da África

Muitas vezes, no senso comum, vemos o estereótipo de que a África não está conectada à inovação e ao mundo de negócios —