Quanto custa anunciar no maior evento esportivo do mundo? 🏈

O Super Bowl é o jogo final do campeonato da NFL, a principal liga de futebol americano dos EUA, cujo vencedor é consagrado o campeão da temporada.

Sua primeira edição ocorreu em 1967. Desde então, cresceu absurdamente, tornando-se nada mais nada menos que o maior evento esportivo e de maior audiência na TV americana.

Com isso, passou a atrair diversos patrocinadores — que investem milhões e milhões de dólares para exibirem suas propagandas nos intervalos —, até atingir o status do evento da publicidade mais cara da televisão mundial. Veja a evolução do preço dos comerciais ao longo dos anos:

Valor mais alto da história 📈

O preço de anunciar no Super Bowl nunca foi tão caro quanto em 2022 — a 56ª edição —, tendo aumentado cerca de 20% em relação à edição do ano passado, quando os anunciantes desembolsaram US$ 5,5 milhões por 30 segundos de propaganda.

O valor é alto, mas não surpreende, tendo em vista o tamanho da audiência do espetáculo. Em 2021, foram quase 100 milhões de espectadores — é muita gente, embora represente a pior audiência desde 2007.

Por outro lado, as expectativas são de que a edição deste ano firme um novo recorde, de quase 120 milhões de espectadores — o que contribui para elevar o custos dos anúncios.

Matemática simples ✏️

Só pra te dar uma noção de grandeza: A cada ano, são veiculados cerca de 80 a 90 comerciais durante a transmissão do Super Bowl. Seguindo a mesma lógica, podemos esperar algo em torno de US$ 500 a US$ 600 milhões vindos de publicidade. Not bad at all.

Um prato cheio para os marketeiros 🤩

Geralmente, os espectadores não prestam tanta atenção aos comerciais durante um evento esportivo. No entanto, quando esse evento é o Super Bowl, a história é diferente. Muitos dos comerciais exibidos são incríveis — e até divertidos ou polêmicos —, sendo cases para profissionais de marketing ao redor de todo planeta.

  • Caso queira dar uma olhada, aqui vai uma lista com 25 dos melhores comerciais da história do Super Bowl.

Não é só a NFL que ganha dinheiro… 🎤

Muitos artistas também se dão muito bem por seus shows, durante o intervalo do jogo (Halftime Show). Embora não sejam pagos para apresentar, os custos são todos cobertos pela NFL — e são bem altos, já tendo sido próximos a US$ 15 milhões, em edições passadas.

  • O que faz os artistas participarem é o prestígio e a exposição. Para exemplificar, quando Justin Timberlake se apresentou em 2018, suas vendas de música aumentaram mais de 500% no mesmo dia. Em 2017, Lady Gaga aumentou suas vendas em 1000% após seu show.

Ou seja, eles não ganham dinheiro diretamente, mas, indiretamente, o retorno é grande. Este ano, será a vez de artistas como Dr. Dre, Snoop Dogg, Eminem, Mary J. Blige e Kendrick Lamar se apresentarem.

Caso você queira assistir, o evento será transmitido ao vivo na TV aberta pela RedeTV!, no próximo dia 13 (domingo), às 20h30 (horário de Brasília), quando Cincinnati Bengals e Los Angeles Rams disputarão o tão desejado título.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

um MBA em forma de e-mail

sua dose de conteúdo sobre os assuntos mais relevantes do mundo dos negócios. análises números e insights.

INDICADOS PARA VOCÊ

BIZNESS

Estamos perdendo o bonde tech?

Voltando um pouco no tempo… Ao olhar as empresas com maior valor de mercado do mundo, vemos algumas caras que não