O governo nunca gastou tão pouco com o funcionalismo

Segundo Paulo Guedes, uma reforma administrativa invisível. No ano passado, os gastos com pessoal foram de 3,8% do PIB — o menor desde 1997, quando os números passaram a ser organizados como funciona hoje.

  • Como isso foi feito? De acordo com o ministro da Economia, a mudança foi possível com baixos reajustes para servidores e menos concursos. 

Segundo ele, o atual governo foi na contramão dos anteriores, que contrataram 160 mil funcionários e deram um aumento de 50% acima da inflação aos servidores.

Para exemplificar… 🇧🇷

A taxa de reposição de servidores — as contratações para repor quem saiu — ficaram em 32%, 39% e 37% nos últimos três anosEm 2016, era de 103%. 

  • Além disso, a digitalização de serviços públicos está reduzindo a necessidade de servidores ativos.

O outro lado… Enquanto se comemora a diminuição dos gastos e a consequente redução do Estado, os servidores apontam sucateamento do serviço público — os sindicatos do Banco Central, da Receita e do INSS pedem aumento e mais concursos.

Olhando para o futuro: A previsão do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias é continuar reduzindo esses gastos, com a meta de chegar a 3,1% do PIB em 2025.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

mais inteligente em 5 minutos

tudo que você precisa saber pra começar seu dia bem e informado

INDICADOS PARA VOCÊ

ECONOMIA

E vamos de leilão…

Muitos bilhões em jogo. Nessa quinta-feira, a Aneel vai leiloar 13 lotes de linhas de transmissão de energia, que podem arrecadar