EBANX demitindo, Medina surfando e Nubank procurando startups

Mais uma para o clube das “preciso cortar custos”. Fundado no Brasil em 2022, o EBANX — considerado o líder em pagamentos internacionais por aqui — anunciou a demissão de 20% do seu quadro de mais de 1,7 mil funcionários. 

  • A notícia amplia a crise dos unicórnios, já que, como aconteceu em outras startups de tecnologia, a justificativa foi o cenário desafiador em que vivemos.

Até o ano passado, a fintech tinha um plano agressivo de expansão. Agora, ela mantém o compromisso com crescimento, mas menciona sustentabilidade.

Enquanto isso… 

🏄 Gabriel Medina está surfando contra a maré. Em meio à queda do mercado de tecnologia e de criptomoedas, o surfista lançou um fundo para investir em startups, focado em web3, cripto, metaverso e NFT. Será que vem caldo ou um 360° na onda? 

🏦 O Nubank quer dominar as fintechs. Segundo o fundador do roxinho, o momento é propício para o banco digital comprar outras startups de finanças por valores até 70% menoresO Nu quer manter a temporada de aquisições ativa.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

mais inteligente em 5 minutos

tudo que você precisa saber pra começar seu dia bem e informado

INDICADOS PARA VOCÊ

STORIES

Partilhar

Que amor tão grande Tem que ser vivido a todo instante A cada hora que eu tô longe é um

STORIES

Sentimento feliz

A Ana e o Bruno se conheceram na Alemanha. Ele estava no país pelo Ciências sem Fronteiras, enquanto ela tinha ido cursar toda a

CHAMPS

Do jeito que o povo gosta

A primeira perna de quase todos os confrontos das oitavas de final da Copa do Brasil aconteceram ontem e anteontem, com jogos bem

CHAMPS

Na corda bamba

Não está nada fácil. A seleção brasileira de vôlei masculino está passando por uma fase de altos e baixos. Se a expectativa

CHAMPS

A melhor etapa do ano

Após ficar de fora por dois anos do circuito mundial da WSL, o Brasil voltou a ser palco de uma etapa do

CHAMPS

Isolou?

A grande treta do ano na Fórmula 1 é o porpoising, que, em bom português, são aquelas quicadas que os monopostos dão