Escassez de celulose leva a preços recordes

Não foi só o petróleo que se prejudicou com a guerra na Ucrânia. Por causa da dependência dos fabricantes de celulose da Europa da madeira russa — cuja produção segue impactada pela guerra —, os preços da matéria-rima estão atingindo recordes.

  • Para entender o impacto, essas paradas inesperadas nos fornecedores retiraram 1,65 milhão de toneladas do mercado. Menos oferta = alta de preços. 

Por que é importante você saber disso? 

A celulose é usada em indústrias como as de papel, embalagens e tecidos, além de estar presente em fraldas, absorventes, cosméticos e por aí vai.

Com isso, esses fabricantes estão sem perspectiva de alívio. Neste ano, os preços da celulose na China subiram 46%, o que encarece itens essenciais — não dá pra ficar sem papel higiênico, né? — e piora os problemas de inflação global. 

📊Partindo para a Bolsa, o Ibovespa teve leve queda ontem, caindo 0,16%, aos 99.552 pontosmas, depois das notícias de uma possível alta do voucher dos caminhoneiros para R$ 1.000, o Ibovespa futuro caiu 1,43%O tourinho vai passar apertado hoje. 

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

mais inteligente em 5 minutos

tudo que você precisa saber pra começar seu dia bem e informado

INDICADOS PARA VOCÊ

STORIES

Partilhar

Que amor tão grande Tem que ser vivido a todo instante A cada hora que eu tô longe é um

STORIES

Sentimento feliz

A Ana e o Bruno se conheceram na Alemanha. Ele estava no país pelo Ciências sem Fronteiras, enquanto ela tinha ido cursar toda a

CHAMPS

Do jeito que o povo gosta

A primeira perna de quase todos os confrontos das oitavas de final da Copa do Brasil aconteceram ontem e anteontem, com jogos bem

CHAMPS

Na corda bamba

Não está nada fácil. A seleção brasileira de vôlei masculino está passando por uma fase de altos e baixos. Se a expectativa

CHAMPS

A melhor etapa do ano

Após ficar de fora por dois anos do circuito mundial da WSL, o Brasil voltou a ser palco de uma etapa do

CHAMPS

Isolou?

A grande treta do ano na Fórmula 1 é o porpoising, que, em bom português, são aquelas quicadas que os monopostos dão