Mudança que salva vidas

A corrida do último final de semana, em Silverstone, teve de tudo um pouco. Apesar de ter sido a mais eletrizante do ano, com show do automobilismo puro, ela também foi responsável por trazer a importância das inovações de segurança.

Step back. A Fórmula 1 tem um histórico triste de acidentes fatais, que modificaram algumas regras na categoria. O mais trágico deles foi o de Ayrton Senna, que gerou mudanças nos carros e nos equipamentos de segurança.

  • Recentemente, um dos últimos elementos inseridos pela categoria para segurança dos pilotos foi o halo, que fica acima do cockpit dos pilotos e tem como finalidade proteger colisões diretas contra a cabeça.

E valeu muito a pena. A exemplo do acidente absurdo de Guanyu Zhou, o halo salvou a vida de, ao menos, mais 6 pilotos, por não permitir colisão direta entre os carros e o capacete — Lewis Hamilton, Leclerc e Grosjean provaram a importância do equipamento.

Quando o halo foi adotado nas categorias de Fórmula da FIA, em 2018, não foram poucas as vozes que o questionaram. Agora, parece ser uma das peças mais vitais para que os pilotos façam seu trabalho com menos risco.

COMPARTILHE

campeão é quem ama esporte

sua dose sobre o que acontece no mundo dos esportes. análises rápidas e descontraídas. sem clubismo, claro.

INDICADOS PARA VOCÊ

CHAMPS

Muito futebol na sua semana

O mais disputado Brasileirão dos últimos tempos está chegando aos seus momentos decisivos. No momento em que os times da ponta

CHAMPS

Já estava com saudades, né?

Alguns campeonatos nacionais na Europa voltaram no último final de semana. Como o clima de Copa está batendo na porta, a

CHAMPS

Sem pescoço pelado

Antes de chegar ao Canadá para disputar o Mundial de Canoagem, Isaquias Queiroz prometeu que não voltaria ao Brasil de “pescoço

CHAMPS

Ganhar é bom…

Mas ganhar da Argentina é muito melhor. A Seleção Brasileira de basquete feminino venceu a final do Sul-Americano sobre as hermanas, na casa

CHAMPS

O camarada deu o Fogudo em garantia

Calma, vamos explicar. O empresário e atual dono do Botafogo, John Textor, anunciou que, para comprar 66% das ações do Lyon, era preciso pegar