A bolha das startups está estourando? 🛁

Demissões em massa e reduções expressivas no valuation 📉

Duas situações que estão sendo vistas com bastante frequência nos últimos tempos, especialmente no universo startupeiro.

Um dos principais fatores que leva a essas quedas, tanto nas startups quanto em companhias gigantes (falaremos melhor delas daqui a pouco), é a inflação que está atingindo o mundo todo.

A influência da COVID foi grande, visto que esse aumento dos preços está muito relacionado a problemas na cadeia global de suprimentos e à emissão desenfreada de dinheiro por diversos governos, ambos reflexo da pandemia.

Muitos outros países vivem situações parecidas e estão de olho na maior economia do planeta. Até porque o que acontece na terra do Tio Sam impacta o mundo todo.

Sabe como isso se aplica no mundo das startups? 🤔

A maior parte do dinheiro investido globalmente em startups vem dos EUA.

  • A onda de inflação alta que estamos vivendo deixa os fundos de investimento mais inclinados a colocarem seu dinheiro em ativos mais seguros.

A lógica é a seguinte: Quando a inflação sobe, os governos aumentam a taxa de juros para combatê-la. E uma taxa de juros alta faz com que a rentabilidade da renda fixa seja maior.

Logo… Por que um investidor vai arriscar investir em uma startup, sendo que a renda fixa — investimento muito mais seguro — está pagando quase 10% ao ano? Muitas vezes, não vale o risco.

Outro ponto de destaque 🚨

As taxas de juros elevadas impactam o valor das empresas, principalmente as de tecnologia, que englobam muitas startups.

  • Isso porque seu valor está no futuro, ou seja, na expectativa dos investidores de que seus resultados vão crescer e seu valor será maior do que é hoje (falamos disso nessa edição).

Com os juros altos, o acesso a crédito — tanto empréstimos quanto captação de rodadas de investimento — fica mais difícil. Lembre: Nesses momentos, os investidores buscam investimentos mais seguros.

Ainda sobre a reprecificação das startups…

Os juros elevados contribuíram para corrigir o valuation desses negócios, pois a expectativa de crescimento — que faz o mercado precificar tais empresas em valores tão altos — fica muito menor.

Dessa forma, os fundos de investimento, para reduzirem seu risco, aproveitam as oportunidades geradas pelos juros altos, como a renda fixa.

O resultado? 🤷

Uma redução nos investimentos em startups. No ano passado, o Vision Fund — fundo do SoftBank focado em empresas de tecnologia — registrou seu maior prejuízo desde seu início, em 2017.

O conglomerado japonês perdeu quase US$ 30 bilhões com investimentos em empresas de tech. Por essas e outras, o SoftBank deve cortar entre 50-75% dos investimentos em startups.

Além do SoftBank, que foi quem mais investiu em Venture Capital em 2021, diversos outros grandes fundos também perderam muito dinheiro.

Como será daqui pra frente? 🔮

Infelizmente, o dêbiz não é Mãe Dináh pra te dar essa resposta. risos. Mas uma coisa é fato: a realidade mudou, e é preciso se adaptar a ela.

  • Estamos passando por um momento de transição no cenário de startups e não dá pra saber como será daqui pra frente.

Foque no que está no seu controle: Aproveitar os avanços da tecnologia, gerar caixa para não depender de investimentos externos e construir um negócio que crie valor para seus clientes.

E não se esqueça que foi em momento de crise em que empresas como Amazon, Google, Airbnb, Uber e tantas outras surgiram e se consolidaram. Sempre haverá espaço pra quem é bom e faz diferente.

COMPARTILHE

um MBA em forma de e-mail

sua dose de conteúdo sobre os assuntos mais relevantes do mundo dos negócios. análises números e insights.

INDICADOS PARA VOCÊ

BIZNESS

“Crédito ou Débito?”

(Imagem: Giphy | Reprodução) Crédito. Essa parece ser a resposta preferida dos americanos. O inimigo das finanças pessoais está de